29/10/2012

[Resenha] Percy Jackson e os Olimpianos - A Maldição do Titã - Rick Riordan

Percy Jackson e os Olimpianos - A Maldição do Titã
Rick Riordan 
Editora Intrínseca
316 páginas

Ignoremos a capa que eu não gosto e só o azul me agrada.
Nesse terceiro livro da série, um chamado do amigo Grover deixa Percy a postos para mais uma missão: dois novos meios-sangues foram encontrados, e sua ascendência ainda é desconhecida. 
Como sempre, Percy sabe que precisará contar com o poder de seus aliados heróis, com sua leal espada Contracorrente... e com uma caroninha da mãe. 
O que eles ainda não sabem é que os jovens descobertos não são os únicos em perigo: Cronos, o Senhor dos Titãs, arquitetou um de seus planos mais traiçoeiros, e os meios-sangues estarão frente a frente com o maior desafio de suas vidas: A Maldição do Titã.
Como todos já sabem, eu sou suspeito para falar de Rick Riordan. O tio Rick é simplesmente "o cara" e quando eu crescer quero ser igual ele. Ele mais uma vez faz uma introdução de tirar o fôlego e acrescenta novos personagens que estarão só de passagem ou ficarão até o final da série. E o que dizer do final? Riordan sabe como fazer um final que leva a uma continuação e deixa os leitores loucos por ela.
Gosto de como o autor a cada livro acrescenta novos personagens para dar uma quebrada na formalidade. Neste volume ele nos apresenta Thalia, filha de Zeus, que tivemos um pequeno relance em O Mar de Monstros e particiou do incrível final do mesmo. Thalia pode parecer chata nos primeiros capítulos, mas logo podemos gostar da garota. Temos também as Caçadoras que são motivos de intrigas no livro e fazem com que a leitura se torne muito divertida. E temos os dois novos meio-sangues Bianca e Nico Di Angelo, e  é bom ficar de olho nesses dois, pois Rick não os colocou a toa na trama.
Mais uma vez o autor capricha no quesito mistério, ação, aventura e emoção. Ele coloca nesse terceiro volume tudo o que estamos acostumados desde O Ladrão de Raios e acrescenta um pouco mais, para nos deixar acordados e ansiosos pela continuação. O que será que encontraremos no último livro? (Eu já sei porque já li toda a série, mas mesmo assim fico ansioso). A cada capítulo é inevitável não ler um pouco mais e o cansaço não bate em nenhum momento, Rick sabe como escrever um livro e usar essa mesma receita em toda a série, de forma que este volume é ótimo como os outros.
Para aqueles que acompanharam as primeiras aventuras de Percy Jackson, encontrarão em A Maldição do Titã um atrativo maior e melhor, capaz de fazer o leitor terminar a leitura e ter certeza que esta série é sim: Única e Incrível!

Dia Nacional do Livro!


Hoje, dia 29/10 se comemora no Brasil o dia nacional do livro! Que dia incrível para nós que tanto amamos estes. Vamos comemorar lendo muito e incentivando cada dia mais a leitura em nossa sociedade. Vamos mostrar o quanto é bom a sensação de ler um livro e que possamos dar real valor nele nesse dia especial.

"Os livros são o tesouro precioso do mundo e a digna herança das gerações e nações."
Henry David Thoreau

"Bendito aquele que semeia livros e faz o povo pensar."
Castro Alves
 
"De todos os que preenchem nossa solidão, são os livros os mais anárquicos, os mais instigantes. Leia, e seu silêncio ganhará voz."
Martha Medeiros
 
"Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história."
Bill Gates
 
"Os livros podem ser divididos em dois grupos: aqueles do momento e aqueles de sempre."
John Ruskin
    
"A leitura de todos os bons livros é uma conversação com as mais honestas pessoas dos séculos passados."
René Descartes 
 
Fonte: Pensador.Info  

23/10/2012

Perfil de Autor #2 - J. K. Rowling


A escritora britânica Joanne Kathleen Rowling nasceu na cidade de Yate, nas proximidades de Bristol, na Inglaterra, em 31 de julho de 1965. Ela se tornaria célebre pela criação do bruxinho Harry Potter, que lhe renderia sete volumes de uma série premiada e aceita quase unanimemente pela crítica e pelo público.

Desde cedo a autora cultivava o gosto da leitura, e vários escritores despertaram na menina o desejo de ser uma escritora. Durante a infância ela nutria um amor incondicional por seus avós paternos, seus prediletos. Sua avó, Kathleen Ada Bulgen Rowling faleceu quando a garota tinha apenas 9 anos. Em sua homenagem, Joanne adota seu nome, representado pela letra ‘K’, para completar seu nome artístico – J.K. Rowling

Atendendo aos apelos de seus genitores, a criadora de Harry Potter cursou Língua e Literatura Francesa na Universidade de Exeter, ao invés do curso de língua inglesa que pretendia fazer. Após sua graduação, ela deu sequência à formação na capital francesa, aí permanecendo durante um ano. Voltando à Inglaterra, começou a trabalhar na Anistia Internacional em Londres, como secretária bilingue e investigadora. Ansiando por concretizar seu sonho de escrever, deixou o cargo e foi para Portugal no ano de 1991.

Neste país ela dava aulas de Inglês à tarde e à noite e, pela manhã, costumava escrever nas mesas dos cafés do Porto, cidade em que permaneceu por cinco anos. 

Em 1990, J.K. Rowling estava num trem indo de Manchester para Londres quando a idéia para Harry simplesmente "apareceu" em sua cabeça. Rowling conta sobre a experiência em seu website: "Tenho escrito continuamente desde os seis anos de idade mas nunca estive tão excitada com uma idéia antes. [...] Eu simplesmente sentei e pensei, por quatro horas (trem atrasado), e todos os detalhes borbulharam em meu cérebro, e este garoto de óculos e cabelos pretos que não sabia que era um bruxo tornou-se mais e mais real para mim." Naquela noite, a autora começou a escrever seu primeiro romance, Harry Potter e a Pedra Filosofal, e um plano que incluía os enredos de cada uma dos sete livros, além de muita informação biográfica e histórica sobre seus personagens e universo.

Neste ritmo ela deu início a sua trajetória literária, mais especificamente à criação de sua saga. Ela preservaria a rotina de escrever nos bares, mas seu livro, o primeiro Harry Potter, só foi concluído depois que ela se divorciou do marido, o português Jorge Arantes, e seguiu com sua primogênita para Edimburgo, na Escócia.

Foi uma longa jornada até que Harry Potter e a Pedra Filosofal fosse aceito pelo mercado editorial. A autora teve que realizar um ‘tour’ por diversas editoras, e em 1994 experimentou a miséria e um estado depressivo, até a Bloomsbury decidir lançar sua primeira obra como mais uma na galeria da literatura infantil. Quando enfim ele foi publicado, em junho de 1997, Joanne ministrava aulas de francês. O sucesso foi instantâneo, vieram os primeiros prêmios no campo dos livros para crianças. Ela conquistou até mesmo a premiação de Livro Infantil do Ano, concedido pelo British Book Awards.

Uma curiosidade: Joanne teve que usar um pseudônimo mais neutro em relação ao gênero, pois tinha-se medo que meninos não quisessem ler livros escritos por uma mulher.

Ao negociar seus direitos como autora para os Estados Unidos, por cento e cinco mil dólares, valor inigualável para uma escritora em início de carreira, ela pode deixar as aulas e se devotar integralmente ao restante da saga Harry Potter. Sua obra prosseguiu a trajetória ascendente, mantendo-se sempre nos primeiros lugares entre os livros mais vendidos, tanto na categoria infantil, quanto na adulta.

Os fãs cresceram a cada volume, especialmente quando a saga foi convertida para as telas dos cinemas, em 2001, ampliando ainda mais as vendas dos livros. A ansiedade dos leitores era tanta, que Rowling teve que ceder as suas pressões e antecipar o lançamento do segundo volume, Harry Potter e a Câmara Secreta, de setembro para junho de 1999.

A terceira parte, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkabam, publicada neste mesmo ano, em setembro, conquistou ainda mais prêmios e um sucesso ainda maior. Em 2000 Rowling publicou Harry Potter e o Cálice de Fogo e negociou seus direitos literários com uma famosa empresa cinematográfica, cedendo assim os primeiros volumes para lançamento nos cinemas. Se tornando hoje em dia um dos filmes mais lucrativos e famosos da história do cinema.

Depois vieram Harry Potter e a Ordem da Fênix, em 2003, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, em 2005, e Harry Potter e as Relíquias da Morte, em 2007.  Hoje ela é a escritora mais rica e poderosa do Planeta, e pode assim converter sua fortuna no auxílio à luta contra enfermidades, a desigualdade e a miséria do mundo. Sua obra já foi traduzida para sessenta e quatro idiomas, e a revista Forbes a considerou, em 2004, a primeira criadora literária a conquistar bilhões de dólares com esta atividade.

Sem dúvida a saga de Harry Potter é muito conhecida e mesmo tendo sua trajetória finalizada (tanto nos livros como nos filmes), continua sendo um sucesso.

Atualmente a autora está divulgando seu novo livro: The Casual Vacancy (No Brasil: Morte Súbita), sendo este para o público adulto. Não há dúvida que esse será mais um sucesso de vendas, pois leva o nome "Rowling" na capa. 

Fontes: Wikipédia e Info Escola

22/10/2012

[Resenha] Puros - Julianna Baggott

Puros
Julianna Baggott
Editora Intrínseca
368 páginas

Pressia pouco se lembra das Explosões ou de sua vida no Antes. Deitada no armário de dormir, nos fundos de uma antiga barbearia em ruínas onde se esconde com o avô, ela pensa em tudo o que foi perdido — como um mundo com parques incríveis, cinemas, festas de aniversário, pais e mães foi reduzido a somente cinzas e poeira, cicatrizes, queimaduras, corpos mutilados e fundidos. Agora, em uma época em que todos os jovens são obrigados a se entregar às milícias para, com sorte, serem treinados ou, se tiverem azar, abatidos, Pressia não pode mais fingir que ainda é uma criança. Sua única saída é fugir.

Houve, porém, quem escapasse ileso do Apocalipse.

Esses são os Puros, mantidos a salvo das cinzas pelo Domo, que protege seus corpos saudáveis e superiores. Partridge é um desses privilegiados, mas não se sente assim. Filho de um dos homens mais influentes do Domo, ele, assim como Pressia, pensa nas perdas. Talvez porque sua própria família se desfez: o pai é emocionalmente distante, o irmão cometeu o suicídio e a mãe não conseguiu chegar ao abrigo do Domo. Ou talvez seja a claustrofobia, a sensação de que o Domo se transformou em uma prisão de regras extremamente rígidas. Quando uma frase dita sem querer dá a entender que sua mãe pode estar viva, ele arrisca tudo e sai à sua procura.

Dois universos opostos se chocam quando Pressia e Partridge se encontram. Porém, eles logo percebem que para alcançarem o que desejam — e continuar vivos — precisarão unir suas forças.

Puros é uma distopia, a nova moda literária, e por amar livros do gênero resolvi lê-lo. De início, nós percebemos que o enredo não segue a linha de outras distopias. Puros não é sobre um futuro onde as pessoas apenas sofrem com a fome e com a pobreza, mas é um futuro onde explosões fizeram com que humanos se fundissem com objetos e que a realidade é muito mais difícil do que pensamos. Outra diferença é que a autora preferiu aprofundar bastante no catástrofe que deu origem aos problemas e explicá-lo completamente, e deixou de lado os romances para mostrar o quão duro, perigoso e autoritário este futuro ficou.

A narrativa é feita pela própria autora, mas ela dá a cada capítulo um título que é o nome do personagem que terá a situação contada. Entre eles: Pressia, Partridge, El Capitán e Lyda.  

Pressia é a típica heroína que estamos acostumados a ver no gênero distopia, mas esta é um tanto frágil e solitária. Partrigde é um Puro, por isso é inocente e não está acostumado com os problemas que enfrentará fora do Domo. El Capitán, é um tanto chato e nada simpatizante, pelo menos foi o que achei. E por fim, Lyda, que protagonizou minhas partes favoritas do livro, já que ela passou por momentos tensos e desesperadores, o que me deixou com um frio na barriga. Todas as perspectivas são importantes e se juntam em certo ponto do livro. 

A autora conseguiu muito bem descrever os locais e a cultura que ela criou, fazendo tudo se interagir com os personagens e suas características. Ela não erra ao apresentar algumas situações do passado que terão impacto no presente durante a leitura, o que deixa o leitor empolgado por formar hipóteses e descobrir respostas por si mesmo.

O grande problema de Puros foi o ínicio parado e que deixa o leitor sem reação, eu não entendia nada do que lia. Julianna Baggott é uma ótima autora, mas escreve de uma forma muito poética e muito complexa, que pode causar desconforto e cansaço no começo, mas quando se pega o ritmo a leitura flui rapidamente. O final também deixou um pouco a desejar, já que foi sem sentido e difícil de entender. A autora fala muito sobre tecnologias que a NASA entenderia, mas que um leitor comum fica com cara de bobo. E ela termina de uma maneira de tirar o fôlego, mas nos deixa desinformado sobre o que realmente está acontecendo.

Ao todo, Puros é sim um livro que eu recomendo, é realmente muito bom e ignorando as partes que a autora teve um surto de professora que explica uma matéria complicada, a escrita de Julianna é ótima e ela soube criar uma trama muito bem amarrada que deixa os leitores sem fôlego em suspense, ação, mistérios e revelações surpreendentes. Possui um potencial ótimo para fazer jus ao gênero distopia já que abusa do sombrio, do autoritarismo e dos massacres. Com certeza quem o lê percebe o quanto é bom e fica com aquela curiosidade para o próximo livro, já que Julianna caprichou na ponte e nas perguntas que ficaram para o próximo volume. Vale a pena dar uma chance!

15/10/2012

Você Está Sendo Vigiado - Gregg Hurwitz

Você Está Sendo Vigiado
Gregg Hurwitz
Editora Arqueiro 
272 páginas

Patrick Davis tinha um sonho: ver seu nome nos créditos de um filme. Mas não imaginava o preço que teria de pagar por isso. Logo depois de vender seu primeiro roteiro a um estúdio, sua vida entra em colapso. Ele não consegue se firmar como roteirista de Hollywood e, para piorar, seu casamento mergulha numa crise.

Misteriosamente, Patrick passa a receber DVDs com gravações dele e da esposa dentro de casa. Após descobrir câmeras escondidas, o casal procura a polícia. Dias depois começam as ligações e os e-mails anônimos propondo um acordo para que tudo volte ao normal. Desesperado, ele não hesita em aceitar a oferta.

Mas sua decisão se revela um erro. Logo ele se vê envolvido numa rede de intrigas que pode custar sua vida e a das pessoas que ama. Cada vez mais acuado, Patrick percebe que só há uma saída: superar seus inimigos ocultos no próprio jogo deles.

Você Está Sendo Vigiado é mais um daqueles livros de suspense que eu amo. Diferente de outros do gênero, o personagem principal e envolvido nos problemas não é um policial, mas sim uma pessoa normal, e isso nos faz refletir: E se acontecesse comigo?

O que Patrick Davis passa é realmente um inferno. Ninguém é confiável e todos acabam sendo suspeitos, afinal, receber DVD's com imagens de você mesmo deve deixar qualquer um com a pulga atrás da orelha. Mas o que dá chão para Davis é sua esposa, Ariana, que se tornou minha favorita.

Gostei dos personagens principais e cada vez que lia percebia que eles tinham as características de Nick e Juliette de Grimm. Não só nas atitudes, mas também na aparência. Quem já assisitiu a série e já leu o livro talvez entenda melhor o que quero dizer. Vejam como seria Patrick e Ariana: 


O livro já começa com tudo, não há nenhuma apresentação ou prólogo, já no primeiro capítulo Patrick encontra o DVD com imagens dele mesmo e é ai que a trama começa a se desenrolar. O leitor fica concentrado e totalmente ávido para descobrir quem e por quê está fazendo isto com o roteirista. 

Digamos que a primeira parte foi a melhor, pois os mistérios foram apresentados e a leitura fluiu muito bem. Temos a esperança de uma corrida contra o tempo e uma investigação que faria de Patrick realmente um personagem independente e simples, nada parecido com policiais que são normalmente os protagonistas deste gênero.

Mas em um piscar de olhos o autor mudou tudo e fez a história ficar mais complexa e complicada, pois tudo se torna grandioso e não é mais aquela coisa pessoal que vemos na primeira parte. Sem falar que não nos surpreendemos com os criminosos, pois eles nunca nem sequer apareceram como suspeitos durante a leitura, o que pode tornar a descoberta um pouco frustrante, já que não consegue fazer o leitor ficar boquiaberto e dizer: "Não acredito que foi ele o tempo todo!".

Mas entre pontos positivos e negativos, Você Está Sendo Vigiado é sim um livro ótimo e diferente de tudo que ronda o gênero. Gregg criou personagens incríveis que lidam com situações totalmente de tirar o fôlego. Ele só erra quando muda um pouco o curso de tudo, mas pelo menos consegue dar um final gratificamente para seus personagens. Leitura totalmente recomendada.

Novidades Arqueiro - Outubro 2012


14/10/2012

Aviso!

Pessoal, peço desculpas pela falta de postagens nessas 2 últimas semanas. O motivo de tudo isto foi que meu computador travou geral e eu tive que mandar arrumar, e nunca vi demorar tanto. Foram 2 semanas. Fiquei totalmente por fora de tudo e não pude atualizar o blog. 

Mas não se preocupem, a partir desta segunda-feira (15/10) o blog volta com tudo. Teremos 2 resenhas e postagens das colunas "Perfil de Autor" e "Ser Bookaholic" e talvez alguma resenha de série. Aguardem!
 
Agradeço a compreensão e o apoio de todos.

Rieri Frugieri
 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team