14/01/2013

[Resenha] Caminhos de Sangue - Moira Young

Caminhos de Sangue - Dustlands: Livro 1
Moira Young
Editora Intrínseca
352 páginas


Saba passou a vida inteira na Lagoa da Prata, uma imensidão de terra desértica assolada por constantes tempestades de areia. O lugar não a incomoda, contanto que o irmão gêmeo, Lugh, esteja por perto. Quando, porém, uma gigantesca tempestade chega trazendo quatro cavaleiros de mantos negros em seu rastro, a vida que Saba conhece chega ao fim: Lugh é raptado e ela tem que embarcar em uma perigosa jornada para resgatá-lo.

Repentinamente jogada na realidade selvagem e sem lei do mundo além da Lagoa da Prata, Saba não consegue pensar no que fazer sem Lugh para guiá-la. Por isso, talvez a maior surpresa seja o que descobre sobre si mesma: é uma lutadora incansável, uma sobrevivente feroz e uma oponente perspicaz.

Com a ajuda de um audacioso e atraente fugitivo e de uma gangue de garotas revolucionárias, Saba se torna a protagonista de um confronto que vai mudar o destino de sua civilização.

"Forte... Perfeito para os fãs de Jogos Vorazes" Com certeza essa frase foi o principal motivo para eu ler este livro. Além de citar Jogos Vorazes na capa ele se trata de uma distopia, gênero queridinho do momento.

Caminhos de Sangue realmente é forte. Por ser um livro mais para jovens, pode parecer que a autora omitiu crueldade e maldades para não deixar nada muito impactante, mas pelo contrário, é uma surpresa saber que um livro neste estilo não possui nada de piedade, bom, pelo menos eu gostei disso, deixou a trama muito mais realista.

Saba é uma personagem corajosa e determinada, mas devo adimitir que é irritante durante alguns estágios do livro. Ela é completamente obcecada por seu irmão, uma obsessão que não é necessária. A garota chega a decepcionar alguns amigos por conta de suas atitudes sem pensar. Por sorte, as atitudes da protagonista melhoram no decorrer da leitura.

Diferente de muitos livros do gênero, Caminhos de Sangue não apresenta a política e a sociedade oprimida deste mundo futuro. É claro, algumas partes dão uma leve pincelada neste conceito para nos lembrar que estamos lendo uma distopia. Mas a maior parte da história é focada em Saba e sua jornada, que aos poucos vai nos desvendando segredos, lugares e personagens.

Por mais que Moira não cite nenhum catástrofe ou nenhuma data que nos sugira que estamos presenciando um mundo futuro, as suas descrições de cenários deixa isso bem claro. A autora tem a capacidade de fazer o leitor se sentir em um novo mundo.

A narrativa é feita em primeira pessoa e é um tanto diferente. Se você se deparar com alguns "fazeno", "num posso", "andano", não pense que foi erro do tradutor, mas esta é apenas a linguagem utilizada pela autora para que nos sintamos mais próximos da realidade de Saba, já que este é o único jeito que ela sabe falar. Este tipo de escrita não incomoda em nada, é um pouco estranho no começo, mas ajuda a leitura fluir muito.

Moira Young criou uma história de tirar o fôlego. Temos ação do início ao fim, sem nenhuma pausa. Há lutas, fugas e resgates o tempo todo, o que faz o leitor fica muito envolvido com a leitura e sentir que a história é ótima! O que realmente é!

Além de Saba, temos personagens interessantes. Como por exemplo as Gaviães Livres que terão um papel importante na história e Emmi e Jack. A primeira é irmã mais nova de Saba, é desprezada, inteligente e muito teimosa. E o segundo é misterioso, corajoso e não sabemos se podemos confiar nele. Aliás, ao entender o estilo do livro, qualquer personagem pode parecer não-confiável, só o tempo nos diz quem é quem.

Caminhos de Sangue é um livro incrível que cumpre seu papel: É forte! Tem começo, meio e fim, mas deixa uma ponta solta para a sua continuação (Rebel Heart, ainda não lançado no Brasil). É um livro de tirar o fôlego que vale a leitura, por isso, está altamente recomendado!

4 comentários:

Clara Beatriz disse...

Isso de você não saber em quem acreditar nesse livro me lembrou a trilogia The Maze Runner, que também é uma distopia. Gostaria de ler esse livro, mas no momento ainda não tive a oportunidade. Só li 2 distopias, THG e TMR. Acho que essa linguagem de "fazeno", "andano" iriam me irritar, haha.
Clara
@mmundodetinta
maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

Lucas Carvalho disse...

uma linguagem diferencial, um livro de tirar o fôlego, com sangue e morte e uma distopia??? Tem tudo para me agradar. Adorei a sinopse do livro e sua resenha, e fiquei louco para ler. Estava na minha lista de pedidos, mas por alguns motivos acabei passando para trás, mas desta vez não passa.

Arismeire Kümmer Silva disse...

Legal, 4 cavaleiros... isso parece promissor :-)
Bj, Aris.

Leitura entre amigas disse...

Oii!!
Eu amo livros nesse gênero!
E se você que é forte, e impactante agora é que deu mais vontade de lê-lo!
Ótima resenha!
Vai para a lista de desejados ^^
Beijos

Elidiane - Leitura entre amigas

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team