29/11/2013

[Resenha] Maze Runner: Correr ou Morrer - James Dashner





Maze Runner: Correr ou Morrer
James Dashner
Traduzido por Henrique Monteiro
Editora V&R
428 páginas

Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.

Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.

Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. 

Sendo este livro uma distopia eu poderia comprá-lo sem nem mesmo ter lido a sinopse e eu já amaria-o. Mas eu li a sinopse de Correr ou Morrer e estava decidido a tê-lo em mãos, porém o preço de R$ 39,90 me impedia. Eis que um dia eu estava em algum site que exibia propagandas do submarino, aquelas que você já visitou em algum momento, e vejo que o livro estava por R$ 19,90. Olhei para a minha estante e vi uma pilha gigante de livros para ler, mas eu não poderia perder a oportunidade então corri para comprar.

E olha, eu não me arrependi. Maze Runner entra para a lista de uma das melhores distopias que já li! O fato de Thomas e seus companheiros saberem pouco ou quase nada sobre o lugar que estão e como o sistema de lá funciona contribui para que fiquemos com muitas dúvidas, questionamentos e ansiedade para descobrir respostas. E o autor não as poupa. De capítulo em capítulo, James Dashner vai juntando pedaços que constituem uma trama muito inteligente e de tirar o fôlego.

Os personagens são bem agradáveis. Thomas, por mais que fique a maior parte do livro como um pateta sem respostas, logo se mostra muito inteligente, ágil e extremamente amigável para com os que estão a sua volta. Minho é bem sarcástico, mas muito sensato. Newt não consegue apresentar se odeia ou gosta de Thomas, por isso dividimos nossa opinião sobre gostar ou não dele. Teresa é misteriosa e acaba se tornando nossa queridinha por revelar alguns mistérios. E Chuck, que é com certeza um personagem incrível, por ser tão frágil, gentil e amável. Ele lembra o Tyson de Percy Jackson, dá vontade de apertar (risos).

O autor me conquistou muito e está prestes a tirar Rick Riordan do topo de meu autor favorito. Ele tem uma linguagem fácil e ágil e faz com que cada página nos prenda e não nos deixe largar o livro enquanto não terminarmos. Cada final de capítulo tem um cliffhanger que te deixa boquiaberto e virando a próxima página para o capítulo seguinte, algo que me agradou bastante e que poucos autores conseguem fazer. 

Outro ponto interessante é que o autor criou um mundo totalmente inédito e até com um vocabulário novo. Palavras como plong e mértila são usadas a todo momento e criam uma identidade própria para a história que teve seus termos muito bem traduzidos para o português pelo incrível Henrique Monteiro (parabéns parceiro, eu sei como é difícil!).

Algo que vale a pena ressaltar é que, diferente de muitas distopias, esta não possui uma garota como protagonista, aliás, quase não há garotas, só Teresa. É uma distopia que agradará muito os garotos (garotas também vão gostar). E agora... a melhor notícia de todas: NÃO HÁ ROMANCE! Sim, galera, 428 páginas de mortes, ação e nada de amor. Pelo menos não de uma maneira que atrapalhe. James já ganhou muitos pontos comigo depois disso.

Todo o trabalho da editora fez com que o livro ficasse maravilhoso e a história também ajuda. Dashner cria uma trama que prende, instiga o leitor e o deixa com um desespero e um rosto de espanto ao ler o epílogo. A ansiedade para a continuação é gigante! Muita ação, aventura, suspense envolvem o mundo e o labirinto que o autor criou. E realmente não há elogios suficientes para descrever essa obra. Os direitos da obra foram vendidos e o filme será lançado no segundo semestre de 2014. As imagens que já saíram provam que este será um filme incrível, assim como o livro. Por favor, leiam, porque está recomendado.

4 comentários:

Lucas Carvalho disse...

Foi a leitura mais despretensiosa que li esse ano. Simplesmente resolvi largar tudo para arriscar a ler meu primeiro e-book. Confesso que não gostei muito da experiência não, mas esse livro compensou tudo. A história é simplesmente envolvente, a trama nos enrola até o final com vários mistérios e segredos que (poucos) são revelados ao decorrer da narrativa. Uma das melhores distopias que já li, se não a melhor desse ano. O final é simplesmente de explodir hahaha. Já estou louco para ler os próximos livros, mas pretendo fazer com os livros físicos mesmo.

Thainá Cristina disse...

Ri esse é um livro que eu também MEGA recomendo, mesmo ñ tendo gostando muito do andamento do segundo. James soube criar uma história mega intrigante e que mesmo que você acha que já sabe da resposta vem algo e muda completamente a sua teoria. Diferente de você gostei do Newt logo de cara, mas por diversas vezes achei que ele fosse um "vilão" mascarado. Já Minho é meu AMOR dessa trilogia, melhor que ele não existe. Eu simplesmente amo personagens sarcásticos e que tiram graça com tudo e de todos.
Beijos

Clara Beatriz disse...

O negócio é que esse livro deve ficar MIL VEZES MELHOR quando você não sabe que é uma distopia. Assim como Thomas, você não tem como esperar nada. E eu, tipo, preciso reler esses livros. Não lembro que quase mais nada, e vai ser adaptado.

Clara
@mmundodetinta
maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

Douglas Fernandes disse...

ja li os 3 livros... quando eu tava lendo o primeiro eu realmente nao conseguia parar, eu ficava assim: só mais um capitulo, só mais um capitulo, quando via ja era de madrugada... hahahahaha
o primeiro livro acaba vc tem mil perguntas, o autor te deixa curioso, impossivel vc nao querer ler a continuação imediatamente.... eu ja li a trilogia, e confesso que me decepcionei um pouco... esperava mais, não que seja ruim, mas podia ser melhor...

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team