31/12/2014

Li em 2014



2014 foi um ano repleto de boas leituras, mas também muitos abandonos e pressões por conta de uma grande pilha que ficou acumulada desde o ano passado. É, blogueiro, vocês sabem né, sempre compra mais do que pode ler (risos). Mas apesar de tudo, esse ano eu me controlei bastante e não comprei muito. Resolvi gastar o dinheiro com coisas diferentes para não cair na rotina de sempre gastar com livros.

Neste ano não li tanto quanto queria, mas em suma deu uma quantidade boa. A falta de tempo, correria, um pouco de preguiça e muitas séries também contribuíram com isso. Inclusive com o meu sumiço do blog (o que será reparado em 2015). De qualquer forma, estou feliz com o resultado final.

Em 2015 vou mudar! Nada de arriscar a ler o que eu não conheço ou o que no fundo eu sei que não vou gostar. Vou voltar na adolescência quando só lia fantasia e infanto-juvenil. Isso me faz bem, me faz realmente amar a leitura e me deixa empolgado. Nada de leitura arrastada. Serei muito mais criterioso nas escolhas de livros.

Sem mais demora, fiquem com a lista de livros!

Janeiro

1. Lua Vermelha - Benjamin Percy
2. A Corte do Ar - Stephen Hunt
3. Quando Eu era Joe - Keren David
4. Riquezas Ocultas - Nora Roberts
5. Sociedade dos Meninos Gênios - Lev AC Rosen
6. Tormento - John Boyne

Fevereiro

7. Gone Girl - Gillian Flyn
8. Mago: Mestre - Raymond E. Feist
9. O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman
10. Doctor Who: Shada - Gareth Roberts

Março

11. As Aventuras do Caça-Feitiço: O Aprendiz - Joseph Delaney
12. O Ladrão do Tempo - John Boyne
13. The Hunger Games - Suzanne Collins

Abril

14. A Queda dos Cinco - Pittacus Lore
15. O Motivo - Patrick Ness

Maio

16. Gregor e a Profecia de Sangue - Suzanne Collins
17. Liberte-se das Paixões deste Mundo - Steve Gallagher
18. Gone: O Mundo Termina Aqui - Michael Grant
19. Maldosas - Sara Shepard

Junho

20. A Caçada - Andrew Fukuda
21. A 5ª Onda - Rick Yancey
22. Pequeno Irmão - Cory Doctorow
23. Extras - Scott Westerfeld
24. Sangue na Neve - Lisa Gardner
25. Cidade das Cinzas - Cassandra Clare

Julho

26. Dezessete Luas - Kami Garcia e Margaret Stohl
27. O Chamado do Cuco - Robert Galbraith (J. K. Rowling)
28. Os Três - Sarah Lotz
29. Catching Fire - Suzanne Collins

Agosto

30. A Promessa do Tigre - Colleen Houck
31. Insígnia: A Arma Secreta - S. J. Kincaid

Setembro

32. O Doador de Memórias - Lois Lowry
33. A Promessa do Tigre - Colleen Houck
34. Noturno - Guilhermo Del Toro e Chuck Hogan

Outubro

35. Cidade de Vidro - Cassandra Clare
36. Mockingjay - Suzanne Collins
37. Reconstruindo Amelia - Kimberly McCreight

Novembro

38. Harry Potter e o Cálice de Fogo - J.K.Rowling

Dezembro

39. Assassinato no Expresso do Oriente - Agatha Christie
40. A Escolhida - Lois Lowry
41. A Queda - Guilhermo Del Toro e Chuck Hogan
42. A Vingança dos Sete - Pittacus Lore
43. Endgame: O Chamado - James Frey e Nils Johnson-Shelton

09/12/2014

[Resenha] Assassinato no Expresso do Oriente - Agatha Christie

Assassinato no Expresso do Oriente
Agatha Christie
Tradução por Archibaldo Figueira
Editora Nova Fronteira
200 páginas

Agatha Christie é a Rainha do Crime e seu personagem mais famoso, Hercule Poirot, não fica muito atrás de Sherlock Holmes. A fama da autora sempre me despertou uma vontade de ler alguma obra da mesma e poder entender o porquê de tanto sucesso. 

Eis que a Editora Nova Fronteira relançou vários títulos de Christie com novas (e belíssimas) capas em formato hardcover. O preço dos volumes não eram tão caros e isso me levou a comprar pelo menos um para conhecer a escrita da autora. Optei por Assassinato no Expresso do Oriente, pois é um dos mais comentados de Agatha.

A história narra mais um caso de Hercule Poirot, que precisa pegar um trem as pressas para Londres e acaba se deparando com um crime: um passageiro com muitos inimigos foi assassinado. Sem ter muitas opções, já que a viagem seria demorada por conta de uma nevasca, Poirot resolve investigar o caso e começa uma busca por pistas e entrevistas que o levarão à uma revelação surpreendente para o caso.

A narrativa de Agatha é extremamente ágil e simples. É possível ler as 200 páginas em uma sentada e sem ver o tempo. A autora não faz muitas descrições ou explica fatos alheios, ela é bem direta e do começo ao fim já apresenta as pistas, evidências e os depoimentos. Com Agatha, não há perda de tempo. Isso faz com que os capítulos sejam curtos, porém interessantes e repleto de informações que vão se ligando e nos deixando cada vez mais curiosos para descobrir o desfecho.

Hercule Poirot me agradou de início. Talvez seja por seu gênio forte que lembra Holmes. Mas entre comparações entre os dois detetives devo dizer que Poirot é muito mais simpático e agradável que seu concorrente. 

Confesso que me decepcionei um pouco com o final. Esperava algo mais surpreendente e inesperado, mas o desfecho foi exatamente o que eu tinha desconfiado. Entretanto, a leitura valeu a pena. Agatha me encantou com sua escrita simples, mas empolgante, daquelas que realmente prende o leitor e não solta até que ele descubra o final. Sem dúvida quero ler mais da autora. A propósito, corram para garantir essa nova edição que está lindíssima. 

01/08/2014

[Resenha] Nosferatu - Joe Hill

Nosferatu
Joe Hill 
Tradução por Fernanda Abreu
Editora Arqueiro (cortesia)
624 páginas 
Victoria Mcqueen pode ir para vários mundos e encontrar coisas perdidas. Como ela consegue isso? Com uma bicicleta e uma ponte. Mas isso é um segredo que ela guarda, pois ninguém acreditaria. Em um dia de raiva ela sai em busca de encrenca e encontra Charlie Manx, um ser que leva crianças para a Terra do Natal e as transforma para sempre. Victoria consegue escapar das mãos do terrível homem, mas será que sua vida está a salvo? Parece que não, pois Charlie quer vingança!  


Minha primeira experiência com Joe Hill foi em A Estrada da Noite. Achei o livro bacana, só. Não posso sair por aí elogiando o cara e dizer que ele possui a veia artística de seu pai, Stephen King, porque nunca li nada do mesmo. Em Nosferatu, Joe criou o que se consolidou como sua obra-prima e realmente é digna de tanto falatório. O cara sabe escrever e entreter.

Primeiro, eu preciso comentar o quão incrível é o título da obra. Nosferatu é uma palavra romênica para definir vampiro, não é algo que estejamos muito acostumados, mas saiba que a palavra é presente em vários livros clássicos. Inclusive, há um filme com este título. O mais legal de tudo é a brincadeira que o autor faz com a placa do Rolls-Royce, que é o título original do livro. NOS4A2, lê-se NOS four A two. Incrível, não é. Para quem cursa tradução deve adivinhar o por quê de eu ficar encantado com tudo isto.

A obra de Hill é bem apresentada pelos seus personagens. De um lado temos Vic, que acompanhamos desde pequena até sua vida adulta. Ela é uma personagem agradável, corajosa e repleta de determinação. Ela é muito sensata e firme em suas atitudes. É fácil se apegar a ela. Do outro lado temos Charlie, que é um terrível vilão, daqueles bem psicopatas e doentios. Mesmo cometendo crimes e coisas terríveis, Charlie consegue agradar o leitor. No final, é impossível não gostar dos dois.

A escrita do autor é bem descritiva e isso passa a ser uma coisa boa já que ele conta com detalhes as situações mais inusitadas e assustadoras. Por mais que o horror demore um pouco para aparecer no começo da história, quando ele aparece se torna completamente presente na trama. Muitas mortes, sangue e suspense é o que você pode encontrar neste livro. 

A leitura é rápida graças aos capítulos pequenos e o livro tem como complemento alguns desenhos que fazem da leitura muito mais dinâmica e prazerosa. Joe Hill cria uma trama que empolga e deixa o leitor curioso para desvendar os segredos ali presentes. Através de Nosferatu, o filho de King, pode mostrar ao mundo que realmente sabe trabalhar com o terror. Totalmente recomendado!

[Resenha] Os Três - Sarah Lotz

Os Três
Sarah Lotz
Tradução por Alves Calado
Editora Arqueiro (cortesia)
400 páginas

Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele... Essa mensagem irá mudar completamente o mundo. 

Os Três faz parte da minha busca por um livro de terror. Afinal, eu já li de tudo, e precisava de algo que me fizesse realmente ficar com um frio na barriga. A história apresentada pela autora é realmente intrigante, mas não dá tanto medo quanto promete. 

A dinâmica que Sarah Lotz escolheu para trabalhar em sua trama é criativa e não muito encontrada em outros livros. A história é apresentada em forma de recortes de entrevistas e matérias que juntas formam uma espécie de compacto a respeito dos Três. Além de dar a impressão que o que estamos lendo é real, a autora também faz com que a leitura flua muito bem, alternando os capítulos entre os personagens e nos deixando com aquele gostinho de quero mais para chegar logo na próxima parte do mesmo. 

Falar sobre cada personagem faria com que esta resenha ficasse gigantesca, pois são muitos. De todas as idades, etnias, cores e religiões, os personagens criados por Sarah são um retrato atual de nossa sociedade, onde ela aborda comportamento, decisões e muito mais. O leitor se apegará a pelo menos um e, com certeza, terá uma ligação, mesmo que indireta, com algumas situações. 

Dividido em Sobreviventes e Conspiração, Lotz consegue contar duas histórias interligadas. Enquanto em Sobreviventes ela trata da vida dos familiares dos Três e o impacto que a sobrevivência deles causou em suas vidas, em alguns momentos assustadoras e em outras felizes, em Conspiração ela apresenta as atitudes de uma comunidade religiosa afetadas pela sobrevivência das crianças. É muito interessante como não importa em que parte você esteja, sempre terá algo de interessante e intrigante para saber. 

A minha única decepção com este livro foi terminá-lo e sentir que ele não cumpriu com seu objetivo principal: Criar um terror que envolva crianças estranhas e gerar um levantamento sobre o por quê de elas serem as únicas sobreviventes de um acidente de um avião. Eu esperava mais capítulos que tratassem desses sobreviventes e acontecimentos estranhos que me tirassem o sono e, principalmente, uma resposta para as minhas perguntas sobre o que são elas e o que levou esses quatro aviões caírem ao mesmo tempo. Lotz talvez tenha respondido isto, mas não deixou tão evidente. 

De qualquer forma, fazia tempo que um livro não me prendia tanto. Eu literalmente devorei Os Três e isso se deve ao fato de Sarah Lotz saber trabalhar muito bem com suas informações e colocá-las de uma maneira que te deixe intrigado para saber mais. Mesmo sem cumprir com o que foi apresentada, a história vale a pena e causa um rebuliço de sentimentos no leitor.

02/07/2014

[Resenha] A Espada de Shannara - Terry Brooks

A Espada de Shannara
Terry Brooks
Tradução por Ana Cristina Rodrigues
Editora Saída de Emergência (cortesia)
544 páginas 

Há muito tempo as Grandes Guerras arruinaram o mundo e a humanidade foi forçada a competir com outras raças - gnomos, trolls, anões e elfos. No pacífico Vale Sombrio, o meio-elfo Shea Ohmsford pouco sabe de tais problemas, isso até que o druida Allanon lhe revelar que o supostamente morto Lorde Feiticeiro está tramando para destruir o mundo. A única arma capaz contra seu poder da escuridão é a Espada de Shannara, que pode ser usada apenas pelo herdeiro legítimo de Shannara. Shea é o último dessa linhagem e nele repousa a esperança de todas as raças. Por isso, quando um aterrorizante Portador da Caveira a serviço do mal voa até o Vale Sombrio, Shea sabe que começará a maior aventura da sua vida. 

Primeiramente vamos falar sobre o fato de eu achar que Terry Brooks era uma mulher, desculpa galera, eu nunca vi um homem com esse nome. Mas se existe Taylor Lautner e Taylor Swift, tá tudo bem.

A Espada de Shannara é o primeiro livro de uma trilogia que fez Terry Brooks ver sua obra no topo da lista dos mais vendidos em uma época em que livros de fantasia não conseguiam esse status (dá pra imaginar como era a vida desse pessoal que não curtia fantasia? na boa!). 

O mais legal da trama criada pelo autor é que, por mais que pareça que esta é uma fantasia épica, na verdade ela se passa no futuro, e essa foi a explicação mais criativa e genial que alguém já pôde criar. Havia a terra que conhecemos e então aconteceu uma catástrofe que fez tudo regredir para a Idade das Trevas e por conta da radiação alguns humanos tiveram mudanças em seus corpos resultando no surgimento de criaturas tais como anões, elfos e derivados. A organização desta terra também foi abalada e deu espaço para muitas disputas políticas.

É nesta trama que conhecemos Shea e seu irmão Flick que partirão em uma jornada para recuperar a Espada de Shannara para impedir que um feiticeiro a possua e crie grandes problemas (e altas confusões). Mas isso vocês já leram na sinopse, né, vamos para outras coisas que vocês precisam saber.

Os personagens criados por Terry são totalmente incríveis e cheios de sua própria personalidade. Shea é corajoso e curioso, enquanto seu irmão Flick é receoso e um tanto quanto medroso. Os dois formam uma dupla ótima e que se completa, dando um equilíbrio entre coragem e raciocínio. Afinal, alguém precisa frear o Shea e dizer: TU TÁ FAZENDO BURRADA! Em sua jornada os irmãos conhecem vários outros personagens carismáticos que farão da leitura muito prazerosa e divertida. 

Brooks é muitas vezes comparados a Tolkien, mas isso só acontece no estilo de literatura, porque na escrita é totalmente diferente (a gente agradece!). Enquanto Tolkien se preocupa com descrições minuciosas, Terry vai direto ao ponto e está mais preocupado em fazer o leitor sentir a tensão e o perigo envolto à muita ação e aventura. E olha... tem muita ação e muitas batalhas e, é claro, que a gente ama tudo isso. Valeu Terry!

Eu, sinceramente, precisava de um livro assim. Uma obra de fantasia que fosse tão grandiosa quanto as de Tolkien e Martin, mas sem ser complexo e cansativo, e Shannara é com certeza bem leve com uma história simples, direta e muito agradável.

O único problema (como sempre) é a fonte pequena e o espaçamento apertado que segundo minha experiência (sim, eu contei no relógio) me fazia ler 10 páginas em 30 minutos e foi por isso que eu demorei muito para terminar a leitura e alguns momentos ficava cansado. Isso é triste, mesmo quando o livro é realmente bom!

No final, a história tem um enredo fechado. Isso quer dizer: tem começo, meio e fim. Mas como é uma trilogia nós percebemos que fica algumas pontas soltas para dar pano para o próximo livro (o autor precisa se sustentar, né galera!). Em todo caso, a leitura é agradável e muito prazerosa e vai agradar muito os fãs de uma boa fantasia, tipo... daquelas muito boa mesmo! Recomendado e ansioso pelo próximo volume.

17/06/2014

O blog vai voltar, calma!



















Ok, eu sei, falta bastante tempo... mas quando voltar, vai voltar com tudo. Nesse tempo vou respirar um pouco...

Me acompanhem em: @rierioliveira

Vai ter blog de volta sim, e se reclamar vai ter dois!

#VAITERBLOG

03/05/2014

[Resenha] As Mentiras de Locke Lamora - Scott Lynch

As Mentiras de Locke Lamora
Scott Lynch
Tradução por Fernanda Abreu
Editora Arqueiro
416 páginas

O Espinho é uma figura lendária: um espadachim imbatível, um especialista em roubos vultosos, um fantasma que atravessa paredes. Metade da excêntrica cidade de Camorr acredita que ele seja um defensor dos pobres, enquanto o restante o considera apenas uma invencionice ridícula.

Franzino, azarado no amor e sem nenhuma habilidade com a espada, Locke Lamora é o homem por trás do fabuloso Espinho, cujas façanhas alcançaram uma fama indesejada. Ele de fato rouba dos ricos (de quem mais valeria a pena roubar?), mas os pobres não veem nem a cor do dinheiro conquistado com os golpes, que vai todo para os bolsos de Locke e de seus comparsas: os Nobres Vigaristas.

O único lar do astuto grupo é o submundo da antiquíssima Camorr, que começa a ser assolado por um misterioso assassino com poder de superar até mesmo o Espinho. Matando líderes de gangues, ele instaura uma guerra clandestina e ameaça mergulhar a cidade em um banho de sangue. Preso em uma armadilha sinistra, Locke e seus amigos terão sua lealdade e inteligência testadas ao máximo e precisarão lutar para sobreviver.

As Mentiras de Locke Lamora já chama atenção pela sua capa maravilhosa e não fica só nessa, sua história também possui uma qualidade inegável. Scott Lynch cria seu próprio campo no universo da fantasia e dá características únicas tanto para seus personagens como para com seu universo e sua história.

A história intercala entre passado e presente do protagonista, Locke, que é um personagem totalmente diferente. Ele é dono de uma grande inteligência e esperteza que farão dele um homem certamente intrigante. A qualidade do livro só vai aumentando no decorrer do dia-a-dia de Locke, que é sempre envolto a roubos, brigas e confusões. Isso prende o leitor e o deixa completamente intrigado a saber mais do que virá pela frente.

Lynch utiliza de uma escrita leve e ágil. Suas descrições não são longas, mas extremamente bem construídas para que o leitor possa ter conhecimento do sistema político da cidade, que aliás, faz parte da incrível imaginação e ousadia do autor. Ao invés de se utilizar do cenário britânico na idade média, o autor utiliza uma Veneza medieval. Completamente inovador e incrível para o leitor. 

O livro conquistará os leitores por trazer de tudo um pouco: estratégias, perigos, ação, suspense, revelações, reviravoltas e tudo envolto a uma grande carga de sarcasmo e esperteza do nosso protagonista. E não é preciso ser um grande fã do gênero para se interessar por isso, até porque Scott nos apresenta uma história de leitura rápida e prazerosa. Recomendado!

24/03/2014

[Resenha] Gregor: O Guerreiro da Superfície - Suzanne Collins

Gregor: O Guerreiro da Superfície
Suzanne Collins
Tradução de Edmo Suassuna
Editora Galera Record
304 páginas


O pai de Gregor, de 11 anos, desapareceu há mais de dois anos, o que tornou a vida do menino muito difícil. Mas tudo se complica ainda mais quando ele cai através de um duto de ventilação na lavanderia do prédio onde mora, e encontra um incrível universo desconhecido sob a cidade de Nova York. Agora, apesar de seus protestos, o menino precisa liderar um estranho grupo de humanos e animais gigantes numa missão que pode salvar o Subterrâneo além de ser a única saída para encontrar seu pai.

Suzanne Collins é a autora da famosa trilogia Jogos Vorazes, mas antes disso ela se tornou famosa e querida pela sua série infantil: "As Crônicas do Subterrâneo". Nessa série ela conta a história de um garoto de 11 anos chamado Gregor e suas aventuras pelo subterrâneo. Diferente de sua trilogia distópica, nessa série a autora explora a imaginação e lugares fantásticos habitado por insetos gigantes.

O livro possui um ritmo agitado e quase não tem pausas ou momentos de calmaria, Gregor sempre está metido em alguma confusão ou perigo e precisando resolver problemas envolvendo uma profecia que guia cada um dos seus passos, não só isso, mas também precisa cuidar de sua irmãzinha e todo um povo ao seu redor.

Gregor tem 11 anos, mas possui uma responsabilidade de um adulto, afinal, todo o cuidado com a irmã cai sobre ele. O garoto é um personagem inteligente, carismático e preocupado com o bem de todos a sua volta. Sua irmãzinha Boots é responsável pelos momentos mais cômicos e emocionantes da história, ela possui um grande coração e ao falar palavras erradas faz com que nos apaixonemos ainda mais por ela. Luxa, a herdeira do trono, é majestosa e, em certos momentos, muito arrogante, porém é uma personagem adorável e que mesmo com seu jeito duro consegue conquistar o leitor.

Suzanne fez um trabalho incrível e criou sua própria mitologia para esse mundo subterrâneo, além de ligar cada ponto da trama do início ao fim. O livro obviamente é destinado para um público mais infantil, mas a autora consegue criar muitos mistérios, cenas de ação e revelações surpreendentes que agradarão até jovens e adultos. A autora também dá muitas lições sobre o amor à família e a união através de situações vividas por seus personagens.

Gregor: O Guerreiro da Superfície com certeza agradará os leitores e deixará muitos ansiosos por mais aventuras do garoto. A escrita e o talento de Suzanne é surpreendente e fará com que este livro, aparentemente infantil, se torne uma saga grandiosa. Muita aventura e revelações surpreendentes te esperam no subterrâneo!

20/03/2014

Perfil de Autor #11 - Justin Cronin

Justin Cronin (nascido em 1962) é um escritor americano. Ele já escreveu quatro romances: Mary and O'Neil e The Summer Guests, bem como dois dos três livros de uma trilogia: The Passage (lançado no Brasil como A Passagem, pela editora Sextante/Arqueiro) e The Twelve (lançado como Os Doze, pela editora Sextante/Arqueiro). Ele ganhou o Hemingway Foundation / PEN Award, o Stephen Crane Prize, e o Whiting Writer's Award. Nascido e criado na Nova Inglaterra, Cronin é graduado na Universidade de Harvard e Oficina dos Escritores de Iowa. Ele ensinou escrita criativa e foi o "Autor em residência" no La Salle University, na Filadélfia, PA 1992-2003. Ele vive com sua esposa e filhos em Houston, Texas, onde é professor de Inglês na Universidade de Rice. Em julho de 2007, a Variety informou que as empresas Fox compraram os direitos para adaptação em cinema da trilogia A Passagem de Cronin. O primeiro livro da série, A Passagem, foi lançado em junho de 2010 e recebeu muitas críticas favoráveis​​.

Alguns dos livros mais conhecidos do autor: 

19/03/2014

Confira o trailer de "O Doador"


Foi divulgado o primeiro trailer da adaptação de O Doador (The Giver). O filme tem direção de Phillip Noyce e traz no elenco grandes nomes como Meryl Streep, Alexander Skarsgård, Katie Holmes, Taylor Swift, Brenton Thwaites (no papel do protagonista) e Jeff Bridges (no papel d'O Doador). A produção tem estreia agendada para Agosto.

O livro foi lançado aqui no Brasil pela editora Arqueiro.

Confira o trailer e a sinopse abaixo: 




Num futuro não muito definido, uma sociedade cria mecanismos de controle em busca do chamado equilíbrio. Todos os homens e mulheres são preparados para desempenhar uma função - as designações. Um alto-falante condiciona as pessoas a seguirem as regras. Até o dia em que Jonas, um menino de 12 anos, é escolhido para ser o novo recebedor de memória.

18/03/2014

Assista ao primeiro trailer de Maze Runner: Correr ou Morrer


Maze Runner: Correr ou Morrer vai ganhar uma adaptação para o cinema e, depois de ser adiada e a espera pelo trailer ser agoniante, ontem os fãs puderam se deparar com uma avalanche de novidades.

Pra quem não sabe, Maze Runner é uma trilogia escrita por James Dashner na qual acompanha Thomas, um garoto que acorda em um elevador e chega à uma clareira repleta de meninos. Sem saber quem realmente é e o que faz ali, ele precisa desvendar os mistérios do labirinto e achar uma maneira de voltar para casa. Mas quando uma garota misteriosa chega à clareira tudo pode mudar.

A adaptação tem direção de Wes Ball e tem no elenco Dylan O'Brien, Will Poulter, Kaya Scodelario, Aml Ameen, Blake Cooper e Thomas Brodie-Sangster. A estreia está prevista para Setembro.

Confira o primeiro trailer e pôster revelados: 



17/03/2014

Ser Bookaholic #8 - Opiniões negativas sobre livros


A Tati Feltrin do Tiny Little Things fez um vídeo bem interessante (assista aqui.) falando sobre expressar as opiniões negativas sobre livros na internet. No vídeo a Tati conta um pouco de suas experiências em relação ao assunto e utiliza de vários argumentos para expressar o que acontece quando uma opinião negativa aparece na rede. No final ela deixa algumas perguntas para os blogueiros/vlogueiros responderem em seus blogs/vlogs e como eu acho esse assunto interessante resolvi responder aqui no blog.

Perguntas propostas:

1) Opiniões negativas de outros sobre um determinado livro já te fizeram desistir de comprá-lo e/ou lê-lo?

Eu não sou muito de pesquisar resenhas sobre algum livro que quero ler, geralmente eu analiso muito a capa, a sinopse, algumas informações adicionais e se isso se encaixar com o meu perfil de livro eu acabo comprando. Depois que eu compro e realmente me interesso para ler eu procuro algumas resenhas, mas mesmo se o blogueiro/vlogueiro tiver opiniões negativas eu vou ler o livro e provavelmente gostar, pois eu sou muito firme em minhas escolhas e não costumo comprar algo aleatório apenas por indicações, então é muito certo de eu gostar.

Claro que fico um pouco assustado ou preocupado quando vejo opiniões negativas de um livro que quero ler ou comprei, mas tento pensar que cada um tem sua opinião e já aconteceu de eu gostar de um livro que muitos odiaram (Starters, por exemplo), então eu gosto de ver as opiniões de outros, mas sabendo que um livro funciona de diferentes maneiras para cada um.

2) Mesmo quando você discorda da opinião negativa de alguém, você costuma levar essas opiniões em consideração e repensar determinados aspectos de um livro do qual gosta? Ou, simplesmente descarta a opinião negativa de terceiros?

É inevitável não levar em consideração e repensar alguns aspectos, afinal, quando gostamos demais de algo não vemos defeitos, não é? Então eu realmente concordo com algumas opiniões negativas que vejo por aí, mas no final de tudo isso apenas acrescentará o meu argumento e conceito sobre algo, sem influenciar diretamente no meu gosto.

3) Se você tem um blog ou um canal no Youtube, qual é a sua política pessoal sobre livros que leu e dos quais não gostou? Você deixa de falar sobre esses livros? Ou, fala, mas mede as palavras ao criticá-los negativamente?


Como disse na primeira resposta eu sou MUITO seletivo em relação aos livros que leio, são poucas as vezes que saio da minha zona de conforto, afinal, penso que leitura é prazer e, a não ser que queira procurar algo diferente, sempre leio aquilo que faz meu estilo e que no final sei que vou gostar (não dá pra gastar tempo e dinheiro e depois não gostar, né?). São poucos livros no ano que eu não gosto ou me decepciono e mesmo nesses eu tento procurar algo que compense a leitura e portanto minhas críticas sempre que são negativas eu apresento aquilo que não gostei de um livro para depois colocar algum ponto que eu gostei (as vezes pode acontecer de eu odiá-lo por completo e não ter nada de bom). Mas sempre tento ser legal com o livro e o autor. 


Considerações finais: O importante é sempre ler e tirar suas próprias conclusões, mesmo que alguém teve alguma opinião negativa sobre algum determinado livro, não quer dizer que ele seja ruim para você ou que você deva se sentir ofendido, cada um tem sua opinião e devemos ser felizes com isso, respeitando uns aos outros e acatando os argumentos e debatendo educadamente. Afinal, se não tivermos opiniões contrárias como poderemos falar sobre aquilo que mais amamos? Não importa se a opinião é negativa ou a favor, o que importa é falarmos sobre livros!

10/03/2014

Lançamentos - Março/2014

Confiram as novidades que nos aguardam para Março de 2014!  

clique nas imagens para mais informações


Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos

05/03/2014

[Resenha] Terra Sem Lei - John Sandford

Editora parceiraTerra Sem Lei
John Sandford
Tradução por Marcelo Mendes
Editora Arqueiro
288 páginas

Em um raro momento de paz, o detetive Virgil Flowers começa a se preparar para um torneio de pesca em um lugar paradisíaco. No entanto, seus planos são arruinados quando ele recebe uma ligação do chefe, Lucas Davenport, informando-o do assassinato da presidente de uma famosa agência de publicidade. O cenário do crime não podia ser mais improvável: uma bela pousada junto a um lago, que hospeda apenas mulheres interessadas em relaxar e aproveitar o contato com a natureza. A vítima foi baleada durante seu passeio matinal de caiaque e as evidências apontam para um crime passional ou por dinheiro. Com seu estilo despojado e brincalhão, Virgil chega à cena e dá a impressão de que não deve ser levado a sério, porém não descansará enquanto não solucionar o caso. Ele descobre que a morte de Erica não foi a primeira da região e que a pousada está ligada a diversas histórias de ciúme, traição, orgulho e cobiça. Todas elas parecem ter conexão com uma banda country feminina e sua cantora de voz poderosa que almeja o estrelato. Nessa terra sem lei, o investigador precisa desvendar o mistério antes que o assassino faça mais uma vítima - e ninguém, nem o próprio Virgil, está a salvo.

Terra Sem Lei é o terceiro livro de Virgil Flowers, mas é o primeiro que leio. Não há nenhum problema em ler fora da sequência, pois são histórias independentes. O que posso garantir já de início é que o livro é sensacional e John Sandford se tornou um dos meus autores favoritos. 

Virgil Flowers é um policial um tanto quanto diferente. Ele possui cabelos longos e louros e é fã de camisetas de bandas de rock alternativo. Seu jeito peculiar é um grande atrativo para suas investigações e fazem com que o personagem seja memorável e divertido.

Aliás, humor e pitadas de sarcasmos são bem presentes na trama. É impossível não soltar alguma gargalhada quando Virgil dirige a um companheiro algum comentário peculiar sobre determinada situação, mesmo que ela seja perigosa ou terrível.

A escrita de John é extremamente fluída e contribuiu para que a leitura fosse rápida e prazerosa. Os capítulos ás vezes não são tão curtos, mas são divididos por partes e isso deixa uma grande curiosidade no leitor de forma que nos faz querer ler mais e mais. John tem uma maneira singular de trabalhar com as palavras e principalmente de manter o mistério. Ele cria uma trama muito bem amarrada e explicada e que as vezes até nos surpreende com revelações inesperadas.

O autor também cria uma rede de personagens que se envolvem e criam laços um tanto quanto suspeitos e isso contribui para que o leitor fique bem atento a tudo e a todos, um pequeno deslize pode demonstrar a verdadeira personalidade de um e apontar para o assassino.

Minha primeira experiência com o autor foi agradável e eu com certeza quero ler mais dele, o seu estilo é único. Terra Sem Lei é sem dúvida um livro de investigação instigante e surpreendente que fará com que o leitor não consiga abandoná-lo até a última página e até a sua última revelação. Livro recomendado.

04/03/2014

[Resenha] Mago: Mestre - Raymond E. Feist

Mago #2                                        
Mestre
Raymond E. Feist
Tradução por Cristina Correia
Editora Saída de Emergência
432 páginas

Esta resenha pode conter spoilers do primeiro livro, Aprendiz, se você ainda não o leu confira a resenha.

Passaram-se três anos desde o terrível cerco a Crydee. Os três rapazes que eram os melhores amigos do mundo encontram-se agora a quilômetros de distância. Pug, um escravo dos Tsurani, está prestes a se tornar um dos maiores magos que já existiram. Tomas, um grande guerreiro entre os elfos, arrisca-se a perder sua humanidade para a armadura encantada que veste. Arutha, príncipe de Crydee, luta desesperadamente contra invasores e traidores para salvar seu reino.

Mestre é o segundo livro da saga Mago, que tem sido publicada aqui no Brasil pela incrível Saída de Emergência e, devo dizer que, as edições deles são maravilhosas. Neste segundo volume daremos continuidade de onde paramos no primeiro livro, e, acredite, eu estava muito curioso para saber o destino de Pug, Thomas e Arutha e quando pude finalmente ler fiquei completamente submerso e encantado como Raymond conseguiu manter sua escrita ao nível daquilo que está escrito na capa: obra-prima da fantasia épica.

Pug agora é um escravo dos Tsuranis e precisa se tornar mais forte e mais maduro para lidar com esta situação. Ele com certeza tem boas ideias na manga e sabe como agradar seus senhores. Algumas partes mostram como a relação dele com os tsuranis não era tão pesada assim, eu diria que havia até uma amizade e essas partes foram as minhas favoritas. Conhecer a cultura desse povo que, obviamente, tem algumas influências da cultura chinesa foi incrível.

Thomas também mostrou um grande crescimento e agora é muito firme em suas atitudes e em sua liderança. Sua presença na terra dos elfos e sua relação com eles é uma parte muito divertida e importante da história, sem falar que é sensacional poder conhecer mais dessa mitologia élfica criada pelo autor.

Arutha parece ser o personagem que carrega o maior fardo desta história, ele deve liderar exércitos e ser muito sábio em suas decisões para proteger seu povo. Com certeza um personagem forte e de grande importância para a história.

Raymond dá personalidade de uma forma majestosa à esses personagens e os envolve em uma trama repleta de ação, emoção e suspense. A história flui de uma forma muito dinâmica e vamos tendo um pouco de tudo, desde momentos de romance e comédia até guerras e tristeza. A narrativa é um pouco pesada e complexa e é necessário muita atenção na leitura, mas logo vamos nos inserindo no mundo criado pelo autor e ficamos cada vez mais ansiosos para descobrir mais. 

Com muitas revelações surpreendentes e muita ação, Mestre, é uma excelente continuação para a saga de Raymond e mais uma vez deixa qualquer leitor ansioso para o que está por vir. Li no final do livro a sinopse do próximo volume e tenho a impressão de que este será meu favorito, mal posso esperar para ler, mas no momento indico o primeiro volume e, consequentemente, o segundo desta saga que tem se mostrado tão incrível e bem escrita. Recomendado!  

18/02/2014

Lançamentos - Fevereiro/2014

Confiram as novidades que nos aguardam para Fevereiro de 2014!  

clique nas imagens para mais informações


Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos
 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team