05/03/2014

[Resenha] Terra Sem Lei - John Sandford

Editora parceiraTerra Sem Lei
John Sandford
Tradução por Marcelo Mendes
Editora Arqueiro
288 páginas

Em um raro momento de paz, o detetive Virgil Flowers começa a se preparar para um torneio de pesca em um lugar paradisíaco. No entanto, seus planos são arruinados quando ele recebe uma ligação do chefe, Lucas Davenport, informando-o do assassinato da presidente de uma famosa agência de publicidade. O cenário do crime não podia ser mais improvável: uma bela pousada junto a um lago, que hospeda apenas mulheres interessadas em relaxar e aproveitar o contato com a natureza. A vítima foi baleada durante seu passeio matinal de caiaque e as evidências apontam para um crime passional ou por dinheiro. Com seu estilo despojado e brincalhão, Virgil chega à cena e dá a impressão de que não deve ser levado a sério, porém não descansará enquanto não solucionar o caso. Ele descobre que a morte de Erica não foi a primeira da região e que a pousada está ligada a diversas histórias de ciúme, traição, orgulho e cobiça. Todas elas parecem ter conexão com uma banda country feminina e sua cantora de voz poderosa que almeja o estrelato. Nessa terra sem lei, o investigador precisa desvendar o mistério antes que o assassino faça mais uma vítima - e ninguém, nem o próprio Virgil, está a salvo.

Terra Sem Lei é o terceiro livro de Virgil Flowers, mas é o primeiro que leio. Não há nenhum problema em ler fora da sequência, pois são histórias independentes. O que posso garantir já de início é que o livro é sensacional e John Sandford se tornou um dos meus autores favoritos. 

Virgil Flowers é um policial um tanto quanto diferente. Ele possui cabelos longos e louros e é fã de camisetas de bandas de rock alternativo. Seu jeito peculiar é um grande atrativo para suas investigações e fazem com que o personagem seja memorável e divertido.

Aliás, humor e pitadas de sarcasmos são bem presentes na trama. É impossível não soltar alguma gargalhada quando Virgil dirige a um companheiro algum comentário peculiar sobre determinada situação, mesmo que ela seja perigosa ou terrível.

A escrita de John é extremamente fluída e contribuiu para que a leitura fosse rápida e prazerosa. Os capítulos ás vezes não são tão curtos, mas são divididos por partes e isso deixa uma grande curiosidade no leitor de forma que nos faz querer ler mais e mais. John tem uma maneira singular de trabalhar com as palavras e principalmente de manter o mistério. Ele cria uma trama muito bem amarrada e explicada e que as vezes até nos surpreende com revelações inesperadas.

O autor também cria uma rede de personagens que se envolvem e criam laços um tanto quanto suspeitos e isso contribui para que o leitor fique bem atento a tudo e a todos, um pequeno deslize pode demonstrar a verdadeira personalidade de um e apontar para o assassino.

Minha primeira experiência com o autor foi agradável e eu com certeza quero ler mais dele, o seu estilo é único. Terra Sem Lei é sem dúvida um livro de investigação instigante e surpreendente que fará com que o leitor não consiga abandoná-lo até a última página e até a sua última revelação. Livro recomendado.

Um comentário:

Kelly Muniz disse...

Nunca li nada sobre esse autor. Fiquei interessada no livro através da sua resenha. É incrivel quando o autor consegue integrar um personagem no outro para nos deixar atento. Muito bom!!
Bjokas

http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team