01/08/2014

[Resenha] Nosferatu - Joe Hill

Nosferatu
Joe Hill 
Tradução por Fernanda Abreu
Editora Arqueiro (cortesia)
624 páginas 
Victoria Mcqueen pode ir para vários mundos e encontrar coisas perdidas. Como ela consegue isso? Com uma bicicleta e uma ponte. Mas isso é um segredo que ela guarda, pois ninguém acreditaria. Em um dia de raiva ela sai em busca de encrenca e encontra Charlie Manx, um ser que leva crianças para a Terra do Natal e as transforma para sempre. Victoria consegue escapar das mãos do terrível homem, mas será que sua vida está a salvo? Parece que não, pois Charlie quer vingança!  


Minha primeira experiência com Joe Hill foi em A Estrada da Noite. Achei o livro bacana, só. Não posso sair por aí elogiando o cara e dizer que ele possui a veia artística de seu pai, Stephen King, porque nunca li nada do mesmo. Em Nosferatu, Joe criou o que se consolidou como sua obra-prima e realmente é digna de tanto falatório. O cara sabe escrever e entreter.

Primeiro, eu preciso comentar o quão incrível é o título da obra. Nosferatu é uma palavra romênica para definir vampiro, não é algo que estejamos muito acostumados, mas saiba que a palavra é presente em vários livros clássicos. Inclusive, há um filme com este título. O mais legal de tudo é a brincadeira que o autor faz com a placa do Rolls-Royce, que é o título original do livro. NOS4A2, lê-se NOS four A two. Incrível, não é. Para quem cursa tradução deve adivinhar o por quê de eu ficar encantado com tudo isto.

A obra de Hill é bem apresentada pelos seus personagens. De um lado temos Vic, que acompanhamos desde pequena até sua vida adulta. Ela é uma personagem agradável, corajosa e repleta de determinação. Ela é muito sensata e firme em suas atitudes. É fácil se apegar a ela. Do outro lado temos Charlie, que é um terrível vilão, daqueles bem psicopatas e doentios. Mesmo cometendo crimes e coisas terríveis, Charlie consegue agradar o leitor. No final, é impossível não gostar dos dois.

A escrita do autor é bem descritiva e isso passa a ser uma coisa boa já que ele conta com detalhes as situações mais inusitadas e assustadoras. Por mais que o horror demore um pouco para aparecer no começo da história, quando ele aparece se torna completamente presente na trama. Muitas mortes, sangue e suspense é o que você pode encontrar neste livro. 

A leitura é rápida graças aos capítulos pequenos e o livro tem como complemento alguns desenhos que fazem da leitura muito mais dinâmica e prazerosa. Joe Hill cria uma trama que empolga e deixa o leitor curioso para desvendar os segredos ali presentes. Através de Nosferatu, o filho de King, pode mostrar ao mundo que realmente sabe trabalhar com o terror. Totalmente recomendado!

Nenhum comentário:

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team